Capadócia

Seguir para dentro da Turquia, para o interior das planícies centrais do país, a Anatólia Central, é de fato uma misteriosa viagem. É o começo de uma visita ao passado das civilizações mais antigas conhecidas pelo homem. Desfrutar de uma paisagem onde a natureza é selvagem, onde o vento e a chuva combinados através dos séculos criaram uma grande obra de arte.

Os resultados majestosos destes projetos são gloriosamente em um triângulo perfeito formado por Ancara, jovem de capital escolhida no final do Império Otomano e que agora representa a parte desenvolvida da Anatólia, Konya, lar de algumas das mais recentes descobertas do período Neolítico, um legado do passado, um dos berços da civilização que ainda permanece bem preservada com uma coleção inigualável de arquitetura seljuquida e Vale da Capadócia, a terra do surrealismo e da religião.

A Capadócia é coberta por montanhas vulcânicas como Erciyes e Hasan, resultando em esculturas muito suave e duráveis feita pela natureza e pelo homem. A paisagem está decorada com labirintos tortuosos de cones, chaminés e encostas em todos os lados. Antes da invasão persa, a Capadócia se estendeu do Mar Negro, ao norte das montanhas do Taurus, ao sul do Eufrates e a leste até o rio. Hoje, a Capadócia é comprimida ao norte pelo rio Halys, a leste pelo Eufrates e ao sul pelo rio Seyhan e Ceyhan.

Cidades subterrâneas

O homem usou a construção natural de cidades subterrâneas na Capadócia aara escapar da perseguição e das invasões armadas dos Romanos durante o século VII. Os cristãos da região, construíram cidades subterrâneas com cerca de 14 andares, onde viviam meses sem serem descobertos. Eles se esconderam tão bem que algumas cidades não foram descobertas até 2014. Entre as mais famosas e bem escavadas estão Derinkuyu e Kaymaklı. Para escapar do perigo imediato durante um curto período de tempo, a entrada de Derinkuyu estava muito perto da cidade atual. Esta cidade tinha menos conforto do que Kaymaklı com seus vinhedos, áreas de abastecimento, capelas, túmulos e estábulos.

Goreme

As cavernas na região não eram apenas usadas como casas e como abrigos, mas também como refúgios espirituais. O Vale de Goreme é conhecido por suas igrejas esculpidas nas rochas. Construído entre os séculos 7 e 13, diz-se que em Goreme há uma igreja para todos os dias do ano. O uso de pedras e o design de seus interiores são fascinantes. Totalmente conservados por séculos, os afrescos originais celebram a fé da nova era cristã. A única luz que entra nas igrejas é a luz natural filtrada na entrada.

As mais famosas igrejas do Museu a céu aberto em Goreme:

Elmali

A Igreja “da Maçã” remonta ao século 11. No interior em forma de cruz, a cor amarelo ocre domina os frescos que decoram a cripta. Como muitas igrejas na Capadócia, o tom das pinturas revelam a cor vermelha, que é um símbolo cristão da era iconoclasta. A maioria dos temas dos afrescos estão relacionados com a Era Cristã.

Çarıklı

Enquanto o altar desta igreja está em ruínas, o ciclo de afrescos que retratam a vida de Cristo está apenas ligeiramente danificado. O retrato dos quatro evangelistas é muito interessante, destacados em todo o centro da cúpula de Cristo, o criador.

Yılanlı

Datada do século 11, a igreja foi originalmente construída como uma capela para serviços funerários. Não é só famosa pela quantidade de afresco, mas pelo seu conteúdo. “A morte do dragão” (daí o nome da Igreja) por São Jorge e Teodoro, à cavalo, adorna a cripta. O imperador Constantino (306-337 AD) e sua mãe Helena eram devotos dos santos.

Algumas Cidades e Vales

Cavusin

Como muitos outros lugares na Turquia, esta vila costumava ser uma comunidade próspera e fechada de gregos e turcos convivendo lado a lado. Em 1923, porém, o Tratado de Lausanne forçou os cidadãos gregos a retornarem à sua pátria e vice-versa. Os turcos continuaram a viver em suas casas, que eram escavadas nas rochas vulcânica macias que cobriam toda a paisagem da Capadócia, mas a erosão tornou as moradias inseguras. Lentamente, os cidadãos desertaram suas casas nas cavernas para habitarem casas na nova parte de Cavusin e por muitos anos, parecia que a parte antiga acabaria em ruínas. O turismo desempenhou um papel importante para garantir que sua história não desapareç, principalmente por causa da antiga e pitoresca igreja que foi majestosamente contruída no topo de uma rocha com vista para a cidade velha.

Vale Soganli

Incorporado em uma montanha íngreme, a beleza única dessa cidade empoeirada é contrastada pelo clima seco e uma mistura de córregos rochosos e vegetação. Entre as igrejas existem duas particularmente interessantes, as Kubeli de dois andares. A estrutura natural das rochas foi feito para dar a impressão de uma cúpula desenhada geometricamente.

Vale Ihlara

O vale foi formado por erupções vulcânicas da montanha Hasan, produzindo-se gargantas e vales. Esta região entre Ihlara e Selime era muito populosa e hoje, mais de uma centena de mosteiros e igrejas que datam dos séculos 10 a 13 ainda preenchem suas rochas. Em uma igreja dedicada a São Jorge, pode-se observar inscrições com os nomes do sultão de Seljuk e imperador bizantino (Giyasettin Mesud II e Andronicus II), ilustrando a tolerância religiosa de líderes turcos.

De volta ao topo